Empresário faz pedido de casamento durante show de Bell Marques; vídeo



O empresário Cryslei Roberto Batista, de 34 anos, surpreendeu a namorada ao fazer pedido de casamento durante um show de Bell Marques em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. O homem subiu ao palco, pediu ao cantor que chamasse a companheira e a perguntou se ela queria se casar com ele. Após trocarem as alianças, o casal recebeu homenagem de Bell (veja vídeo acima)

A funcionária pública Janaína Oliveira, namorada de Cryslei, disse que estava irritada porque ele havia sumido durante no show. “Ele toda hora falava que ia ao banheiro e eu já estava nervosa porque ele saiu e demorou. Quase que eu nem escuto o Bell me chamando no palco. Foi uma emoção muito grande.  Meu namorado, agora noivo, é muito romântico, mas eu não esperava esta surpresa. Foi indescritível”, disse ao G1.

O pedido de casamento aconteceu na madrugada deste sábado (29) durante uma festa organizada pela dupla Jorge e Mateus em uma casa de shows da cidade. Cryslei conta que iria fazer o pedido durante o show dos sertanejos, que aconteceu logo após a apresentação de Bell, mas que não conseguiu controlar a ansiedade.

“Eu fui pra lá já com as alianças já querendo fazer o pedido. Aí fui conversando com alguns produtores do evento, mas fiquei com medo de não dar certo e fui na raça. Fui chegando perto do palco e falei pra algumas pessoas que queria subir no palco para pedir minha namorada em casamento. Aí todos me deixaram passar e me ajudaram a chamar a atenção do Bell”, contou o empresário.

O cantor o convidou para o palco e começou a chamar Janaína, que com a ajuda dos presentes, chegou rapidamente para o pedido. O empresário ajoelhou-se e, após perguntar se ela queria se casar com ele, recebeu de resposta um “claro” emocionado.

O casal completa um ano de namoro neste sábado (29), mas o empresário afirma que não se lembrou da data. “Eu estava tão focado no pedido que nem havia planejado pensando na data. Foi duplamente feliz a escolha, pelo momento e, sem saber, pela data”, brincou.

Membro do fã-clube Bell Marques Show, o empresário Thiago Marques gravou o vídeo e disse ao G1 que foi um momento especial da apresentação do artista. Ele, que mora em Brasília, viajou para Goiânia só para poder participar da festa.

“Eu estava próximo ao rapaz que fez o pedido. Aí Bell entendeu o que ele queria e o chamou ao palco. Ele tem tradição já de fazer isso, ele já realizou o sonho de um casal em um trio elétrico uma vez. Este foi bem emocionante porque o público interagiu, gostou”, contou.

Casal comemorou pedido de casamento feito em Goiânia (Foto: Reprodução/Instagram)Casal comemorou pedido de casamento feito em Goiânia (Foto: Reprodução/Instagram)

 





Source link

Escola de música do DF ensina aos moldes de 'academia de ginástica'



 

Uma verdadeira academia de música, com os instrumentos disponíveis o dia todo, salas especiais e fichas para saber em que etapa o aluno está. Assim funciona a Musiflex, uma escola de música de Brasília montada aos moldes de uma academia de ginástica.

A ideia foi do empresário Flávio Machado, que atua no ramo musical há 30 anos. Segundo ele, o intuito era democratizar o acesso ao ensino da arte na capital federal.

“Fui fazer uma avaliação física em uma academia de ginástica e na sala de espera fiquei observando o funcionamento. Acabei abandonando a avaliação e a academia, pois saí de lá convencido de que era algo possível de ser implementado em uma escola de música”, diz Machado.

A academia de música nasceu em 2015, na W3 Norte, no Plano Piloto. Com o sucesso da empreitada, a Musiflex cresceu e hoje tem unidade também em Águas Claras.

Segundo o empresário, o aluno paga uma mensalidade fixa de R$ 79 e pode chegar na escola no horário que quiser. A cada hora tem uma aula de violão, teclado, guitarra, baixo, bateria e canto, e o aluno não precisa levar o instrumento.

Em cada sala há um instrumento, com dez aluno por horário, no máximo. Os espaços são isolados acusticamente. Os alunos usam fones. Há também uma sala de ensaios, e os estudantes podem se juntar em bandas já formadas ou em grupos agendados no mesmo horário.

“Ele [estudante] está ali reunido com outros alunos, porém está sendo trabalhada a dificuldade individual dele, assim como a de outros alunos”, afirma o professor de teclados Harrison Torres.

Com a experiência no ramo, Machado diz que sempre quis que mais pessoas pudessem ter acesso à música. Democratizar o contato das pessoas com a arte era um sonho antigo, ele diz.

“Fazer aula de música não é nada barato, um instrumento musical é artigo de luxo. No formato que pensei para a Musiflex, o aluno pode passar o dia inteiro na escola, assistindo a quantas aulas quiser, por um preço acessível e sem precisar comprar o instrumento.”

Para o controle do desempenho do estudante, a escola registra todas as atividades dele em “fichas de treino”, como na academia de ginástica.

A estudante Malianna Subtie fez aula de música quando criança, tinha intenção de retornar à atividade, mas achava o preço dos cursos muito caro. “Sempre gostei de teclado, mas nunca tive a oportunidade de aprender. Quando eu cheguei, a primeira coisa [que ela quis tocar foi] teclado. Eu pego uma ou duas músicas por semana, já estou aprendendo a prática também. Está bem tranquilo.”

Para o cozinheiro Oniel Alves, a grande vantagem são os horários flexíveis. Ele trabalha em duas jornadas, com escalas que variam. Com o método e o formato do curso, ele pôde realizar o sonho de estudar bateria. “Você vai encontrar o horário certo para você exatamente, do jeito que você precisa.”





Source link

DF tem Porão do Rock neste sábado com Emicida, Ira! e Nação Zumbi



O rapper Emicida, que fecha a primeira noite do festival Batida Afro, no CCBB de Brasília (Foto: José de Holanda/Divulgação)O rapper Emicida, atração do Porão do Rock (Foto: José de Holanda/Divulgação)

A 19ª edição do Porão do Rock acontece neste sábado (29) no estacionamento do Estádio Mané Garrincha, em Brasília. São 28 atrações em três palcos, com destaque para Ira!, Planet Hemp, Emicida, Nação Zumbi, Supla, Zumbis dos Espaço e mais 14 bandas do Distrito Federal. Um dos mais tradicionais festivais de música do Distrito Federal, o evento promete 12 horas de música a partir das 15h.

O Porão do Rock é realizado desde 1998 e sempre reúne em Brasília atrações nacionalmente conhecidas com grupos e artistas da capital federal. Nesta edição há atrações do DF, São Paulo, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Goiás , Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Os ingressos custam R$ 20 mais 1 kg de alimento não perecível. As entradas podem ser adquiridas nas lojas Abriu pro Rock, Chilly Beans e Overstreet e pela internet.

Como nos anos anteriores, o festival acontece em três palcos. As apresentações principais acontecem em dois deles, com atrações intercaladas – para diminuir o intervalo entre os shows. O terceiro palco é destinado às bandas de rock pesado, com programação independente.

Nasi e Edgard Scandurra levantaram o público em Rio Preto (Foto: Ricardo Boni)Edgard Scandurra e Nasi, durante show do Ira! (Foto: Ricardo Boni/Divulgação)

A organização oferece ao público praça de alimentação com food trucks, praça de esportes radicais, loja com camisetas, CDs, bonés e demais produtos oficiais do festival e estandes “Porão Sustentável” (com ações voltadas para sustentabilidade, acessibilidade e inclusão social).

Quem for de bicicleta ganha R$ 5 de desconto na bilheteria, no dia do evento, e pode deixar o veículo no estande da ONG Rodas da Paz. Neste ano, o festival recrutou pessoas com deficiência para trabalhar durante o evento, em mais uma ação social.

Programação

– Palco Chilli Beans (a partir das 15h30)

My Last Bike (DF)
Joe Silhueta (DF)
Zamaster (DF)
Emicida (SP)
Far From Alaska (RN)
Trampa (DF)
Ira! (SP)
Almirante Shiva (DF)

– Palco Budweiser (a partit das 16h)

Os Gatunos (DF)
Nafandus (CE)
Supla (SP)
Passo Largo (DF)
Nação Zumbi (PE)
Boogarins (GO)
Darshan (DF)
Planet Hemp (RJ)

– Palco Pesado (a partir das 15h40)

Peso Morto (DF)
Quilombo (DF)
As Verdades de Anabela (DF)
Zumbis do Espaço (SP)
Os Til (DF)
Vodoopriest (SP)
Miasthenia (DF)
Hibria (RS)
Oitão (SP)
Worst (SP)
Lost in Hate (DF)
Project 46 (SP)





Source link

Academia do Nobel quer que Bob Dylan cante



Bob Dylan durante show no Hop Festival em Paddock Wood, na Inglaterra, em junho de 2012 (Foto: Ki Price/Reuters/Arquivo)Bob Dylan durante show no Hop Festival em Paddock Wood, na Inglaterra, em junho de 2012 (Foto: Ki Price/Reuters/Arquivo)

Bob Dylan, em silêncio desde o anúncio de seu Prêmio Nobel de Literatura, anunciou, finalmente, que pretende buscar seu prêmio em Estocolmo. Encantada, a Academia sueca disse que o artista poderia agradecer cantando em 10 de dezembro.

 

O artista americano de 75 anos quebrou na sexta-feira o silêncio de mais de 10 dias sobre o Graal da literatura.

“É difícil de acreditar”, disse o cantor e compositor americano ao jornal britânico Daily Telegraph. “Quem poderia sonhar com algo assim?”.

Perguntado sobre se compareceria ao banquete que é oferecido aos laureados com o Nobel em Estocolmo no próximo 10 de dezembro, presidido pelo rei da Suécia, Carlos XVI Gustavo, Dylan respondeu: “Com certeza, se for possível”.

Nesta hipótese, a secretária perpétua da Academia, Sara Danius, disse que “tudo seria feito” para tornar a estadia agradável, se não for tolerável, ao poeta-músico que prefere os trompetes às luzes da fama.

A única obrigação, de acordo com o estatuto da Fundação Nobel: “Deve se dirigir, de uma forma ou de outra, ao Nobel, pode ser por meio de um breve discurso, uma performance, um vídeo ou uma canção”, lembrou Sara Danius, citada pela rádio pública SR.

“Espero que ele faça o que tiver vontade”, acrescentou.

Oito dias após o anúncio do prêmio, um proeminente membro da Academia sueca havia criticado o comportamento de Bob Dylan. “É rude e arrogante. É o que é”, acusou Per Wastberg.

Sara Danius explicou que, desde então, conversou com Bob Dylan. Ele foi “humilde, simpático e engraçado”, ela assegurou.

Nobel
Bob Dylan, de 75 anos, foi anunciado no dia 13 de outubro como o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. A escolha foi divulgada em um evento em Estocolmo, na Suécia. Além do título, Dylan, que é considerado um dos maiores nomes da música do século XX, poderá receber 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,9 milhões).

A opção por um músico – e não por um escritor de ofício – soa incomum, mas o nome do Dylan vinha sendo cotado havia muitos anos. Também poeta e com diversos livros lançados (veja lista abaixo), o artista é aclamado sobretudo pelo lirismo de suas letras. Desta vez, no entanto, ele não estava entre os favoritos nas casas de apostas.

Reconhecendo que o Nobel de literatura de 2016 pode parecer surpreendente, a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan foi escolhido “por criar novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana”.

A academia citou ainda que “Dylan tem o status de um ícone” e que “sua influência na música contemporânea é profunda”. “Ele é provavelmente o maior poeta vivo”, declarou Per Wastberg, membro da instituição.

A nota biográfica do prêmio afirma que “Dylan gravou um grande número de álbuns que giram em torno de temas como a condição humana, religião, política e amor”. Dentre os clássicos compostos por ele, estão “Blowin’ in the wind”, “Subterranean homesick blues”, “Mr. tambourine man” e “Like a rolling stone”.

 

 





Source link

Bob Dylan fala de cerimônia de Nobel pela primeira vez: 'Vou se for possível'



O cantor e compositor Bob Dylan, durante show no festival Vieilles Charrues em Carhaix-Plouguer, no oeste da França, em julho de 2012 (Foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)O cantor e compositor Bob Dylan, durante show no festival Vieilles Charrues em Carhaix-Plouguer, no oeste da França, em julho de 2012 (Foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)
 

Após duas semanas de silêncio, Bob Dylan falou sobre ter ganhado o Nobel de Literatura, em entrevista ao jornal britânico “The Telegraph” e em comunicado divugado pela Academia Sueca, ambos publicados nesta sexta-feira (28). Ao ser questionado se pretende ir à cerimônia de premiação, ele disse ao jornal: “Absolutamente. Se for possível”.

A Academia Sueca, que concede o Nobel, divulgou um comunicado dizendo que o cantor ligou para eles nesta semana e disse: “Se eu aceito o prêmio? É claro”. “A notícia sobre o Prêmio Nobel me deixou sem palavras. Eu agradeço muito por essa homenagem”, disse o compositor.

O comunicado diz que ainda não está decidido se Dylan vai participar presencialmente da cerimônia do Nobel em dezembro, em Estocolmo.

O prêmio foi anunciado há duas semanas, e o cantor chegou a ser criticado por não atender às ligações da Academia nem se pronunciar sobre o prêmio

O compositor disse ao “The Telegraph” que, ao saber que tinha ganhado, achou “supreendente, incrível. Quem sonharia com uma coisa dessas?”. “É difícil de acreditar”, afirmou Bob Dylan.

O “Telegraph” questiona o artista por ele não ter respondido antes às ligações de congratulação da academia. Ele não explica a falta de resposta e afirma apenas: “Bem, eu estou aqui”.

Ao ser questionado se concorda com a afirmação da Academia Sueca de que suas canções estão no patamar da alta literatura, ele diz com “hesitação”, segundo a reportagem: “Acho que sim, de certa maneira. Algumas de minhas músicas – ‘Blind Willie’, ‘The Ballad of Hollis Brown’, ‘Joey’, ‘A Hard Rain’, ‘Hurricane’ e outras – têm um valor homérico [em referência ao poeta grego Homero, citado pela Academia ao justificar a premiação].”

Nobel
Bob Dylan, de 75 anos, foi anunciado no dia 13 de outubro como o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. A escolha foi divulgada em um evento em Estocolmo, na Suécia. Além do título, Dylan, que é considerado um dos maiores nomes da música do século XX, poderá receber 8 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 2,9 milhões).

A opção por um músico – e não por um escritor de ofício – soa incomum, mas o nome do Dylan vinha sendo cotado havia muitos anos. Também poeta e com diversos livros lançados (veja lista abaixo), o artista é aclamado sobretudo pelo lirismo de suas letras. Desta vez, no entanto, ele não estava entre os favoritos nas casas de apostas.

Reconhecendo que o Nobel de literatura de 2016 pode parecer surpreendente, a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius, declarou que Dylan foi escolhido “por criar novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana”.

A academia citou ainda que “Dylan tem o status de um ícone” e que “sua influência na música contemporânea é profunda”. “Ele é provavelmente o maior poeta vivo”, declarou Per Wastberg, membro da instituição.

A nota biográfica do prêmio afirma que “Dylan gravou um grande número de álbuns que giram em torno de temas como a condição humana, religião, política e amor”. Dentre os clássicos compostos por ele, estão “Blowin’ in the wind”, “Subterranean homesick blues”, “Mr. tambourine man” e “Like a rolling stone”.





Source link

Música viral 'Pen-pineapple-apple-pen' entra para o 'Guinness'



Imagem da música viral 'PPAP' ou 'Pen-pineaaple-apple-pen', do japonês Piko-Taro (Foto: Divulgação)Imagem da música viral ‘PPAP’ ou ‘Pen-pineaaple-apple-pen’, do japonês Piko-Taro (Foto: Divulgação)

O viral “Pen-Pineapple-Apple-Pen” do comediante japonês Kosaka Daimaou, mais conhecido como Piko-Taro, cujo vídeo alcançou mais de 130 milhões de visualizações no YouTube, foi reconhecido nesta sexta-feira (28) pelo “Guinness World Records”, o chamado livro dos recordes, como a canção mais curta a entrar na lista “Billboard Hot 100”.

Clique aqui para assistir ao vídeo de ‘Pen-pineapple-apple-pen’.

A música, de 45 segundos de duração, ficou no 77º lugar do ranking americano nesta semana, um posto abaixo de “Million reasons”, de Lady Gaga.

No ato de entrega do certificado do Guinness, que aconteceu nesta sexta em Tóquio, o artista, o primeiro japonês a entrar nesta lista em 26 anos, disse se sentir muito honrado e surpreendido pelo sucesso mundial da canção.

Para comemorar, ele apresentou uma versão estendida, de dois minutos, para o público.

O vídeo “Pen-pineapple-apple-pen” (ou “PPAP”, como é carinhosamente chamada) foi postado no YouTube no final de agosto, mas ganhou fama mesmo quando Justin Bieber compartilhou o link em seu Twitter dizendo que era o seu “vídeo favorito de internet”, em 27 de setembro.

O próprio Kosaka Daimaou reconheceu que esse foi um dos fatores que o levaram a estourar no exterior. O vídeo, claro, já tem centenas de covers e paródias.

“Tem até uma versão indiana. É incrível como eles fizeram. É a minha favorita”, afirmou ele, que disse que gostaria de ver uma versão da música feita por Ariana Grande ou Bieber.

Segundo ele, a canção foi produzida com um orçamento de 100 mil ienes (pouco mais de R$ 3 mil), valor pequeno em comparação ao lucro que possivelmente ele terá, já que garantiu não ter recebido “nem um iene ainda”, pois o ciclo de faturamento no YouTube ainda não fechou.

Quanto aos planos para o futuro, o japonês revelou ter assinado contrato global com várias gravadoras, entre elas a Sony, e que, apesar do sucesso de “PPAP”, não pensa agora em “continuar fazendo canções divertidas tão rápido assim”.





Source link