A Cor do Som apresenta duas músicas inéditas no álbum em que celebra 40 anos




A rigor, os 40 anos de vida da banda carioca A Cor do Som já são 41. Mas o grupo formado em 1977 ainda celebra em 2018 as quatro décadas de existência. A comemoração se dá com o álbum intitulado justamente 40 anos, gravado ao longo de 2017 e programado para chegar às plataformas digitais na próxima sexta-feira, 16 de março. No disco, produzido por Ricardo Feghali, Armandinho (guitarra, bandolim e guitarra baiana), Ary Dias (percussão), Dai Carvalho (baixo), Gustavo Schroeter (bateria) e Mú Carvalho (teclados) reciclam hits com convidados (caso de Zanzibar, revivido com a adesão de Samuel Rosa), registram músicas nunca gravadas pelo quinteto e apresentam duas músicas inéditas. Uma das inéditas é Somos da cor, parceria de Armandinho com Maria Vasco, autora da letra que exalta a miscigenação étnica do Brasil. A outra é Sonhos de Carnaval, música composta por Armandinho com letra de Fausto Nilo. No álbum, essa música foi gravada com suingue caribenho e pegada roqueira no toque da guitarra baiana de Armandinho. Outras duas músicas são inéditas somente na discografia d’A Cor do Som, casos de Alvo certo (Dadi Carvalho e André Carvalho) – disparada por Dadi em álbum editado em 2005 pelo selo japonês Rip Curl Recordings – e Sou volúvel (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Dadi Carvalho, 2013), composição lançada há cinco anos em álbum de Arnaldo Antunes. Já Olhos d’água (Mú Carvalho, Pierre Aderne e Alexia Bomtempo, 2011), embora esteja sendo apresentada como inédita, foi lançada há sete anos em álbum gravado por Mú com a cantora Ana Zingoni – convidada, por isso mesmo, do revival da música no disco 40 anos – e reapresentada pela Cor do Som em 2016 como single.



Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *