Guns N'Roses vai fazer shows com Axl Rose e Slash nos EUA, diz revista



Formação original do Guns: Steven Adler, Izzy Stadlin, Duff McKagan, Axl Rose e Slash (Foto: Divulgação / Greg Freeman)Formação original do Guns, com Axl Rose e Slash
à direita (Foto: Divulgação / Greg Freeman)

Slash e Axl Rose vão voltar a tocar juntos no Guns N’Roses em shows nos EUA, disse nesta terça-feira (29) a revista “Billboard”.  A reportagem diz que a informação foi confirmada por “várias fontes” da indústria musical, mas a banda ainda não anunciou oficialmente o retorno do guitarrista e outros membros originais.

De acordo com a “Billboard”, o Guns N’Roses vai ser atração principal do festival Coachella, que acontece em abril na Califórnia. Eles também teriam um show marcado na nova Las Vegas Arena, e estariam negociando outras datas em estádios. Segundo a revista, o Guns está cobrando US$ 3 milhões (R$ 11,6 milhões) por cada show com Axl e Slash e provavelmente outros músicos da formação original.

Nas últimas semanas aumentaram os rumores sobre a volta de Slash e outros membros originais ao Guns. Imagens da formação clássica da banda apareceram no site oficial. Um vídeo com shows antigos do grupo foi exibido durante o trailer de algumas sessões do novo “Star Wars”.

Reconciliação
Em agosto de 2015, Slash disse que se reconcilou com Axl Rose em entrevista ao jornal sueco Aftonbladet. “Já estava provavelmente passando da hora, sabe? Mas está legal agora. Você sabe, deixar aquela negatividade, aquelas coisas negativas que estavam acontecendo por tanto tempo”, disse o guitarrista ao confirmar que fez as pazes com o ex-colega de Guns N’ Roses. Clique para assistir ao vídeo com a entrevista no site sueco.

Slash deixou o Guns em 1996 e desde então trocava declarações negativas com Axl na imprensa. Em 2009, Axl disse que Slash era “um câncer que deveria ser removido”.

Relembre abaixo os bate-bocas entre o líder do Guns N’Roses e o ex-guitarrista da banda e clique para ler a matéria.

  •  
  •  

Infográfico: Axl vs Slash (Foto: Editoria de arte G1)

 





Source link

Lemmy Kilmister tinha câncer no cérebro e no pescoço, diz empresário



Foto de arquivo tirada em junho de 2015 mostra o baixista líder do Motorhead, Lemmy Kilmister durante show na França (Foto: Georges Gobet/AFP)Foto de arquivo tirada em junho de 2015 mostra o baixista líder do Motorhead, Lemmy Kilmister durante show na França (Foto: Georges Gobet/AFP)

Lemmy Kilmister, vocalista e baixista do Motörhead que morreu nesta segunda-feira (28), tinha sido diagnosticado com câncer terminal no cérebro e no pescoço no último sábado (26), dois dias após seu aniversário de 70 anos. A informação foi divulgada por seu empresário, Todd Singerman, em entrevista ao canal de notícias Sky News.

Ele contou que Kilmister pediu para ir ao hospital no último dia 15 de dezembro, dois dias após a festa que comemorou seus 70 anos, por não estar se sentindo bem. O músico foi liberado, mas exames foram realizados para descobrir a causa de alguns problemas de fala que ele apresentava.

Segundo Singerman, os médicos pensavam que poderia se tratar de um pequeno derrame, mas uma tomografia encontrou uma forma “extremamente agressiva de câncer” em seu cérebro e seu pescoço.

“O médico disse que ele tinha de dois a seis meses de vida. Ele morre hoje, enquanto eu ligava para Phil e Mikkey [integrantes da banda] para avisá-los que deviam vir dar seu último adeus enquanto ele estava otimista e tudo o mais”, afirmou o empresário.

De acordo com ele, Kilmister não esperava morrer dessa forma. “Aquilo era a última coisa que pensávamos que ele teria. Quando você pensa a respeito, ele esteve com todos os médicos e em todos os hospitais ao redor do mundo e ninguém encontrou [o câncer].”

Fim
A morte do líder do Motörhead significa também o fim do grupo, afirmou nesta terça-feira (29) o baterista do trio, Mikkey Dee, ao jornal sueco “Expressen”.

“O Motörhead acabou, claro. Lemmy era o Motörhead, mas a banda vai continuar viva na memória de muita gente”, afirmou o baterista ao “Expressen”.

“Não faremos mais turnês. E não haverá mais discos. Mas a marca sobrevive, em Lemmy vive no coração de todos.”

Lemmy Kilmister, líder do Motörhead (Foto: Fabian Bimmer/Reuters)Lemmy Kilmister, líder do Motörhead (Foto: Fabian Bimmer/Reuters)

Ás de espadas
Ian Fraiser “Lemmy” Kilmister nasceu na Inglaterra, em 24 de dezembro de 1945, e era membro fundador do Motörhead. Baixista, vocalista e compositor, foi o único integrante a participar de toda a trajetória da banda. Ele havia completado 70 anos na última quinta-feira (24).

Quarenta anos depois de sua criação, a banda metaleira ainda tem um séquito de fãs fiel, graças à destruidora guitarra e à voz inconfundivelmente grave de Lemmy.

Ao longo da carreira, o Motörhead lançou cerca de 20 álbuns, alcançando 30 millhões de discos vendidos ao redor do mundo.

Reconhecível também pelas costeletas e as pintas no rosto, Lemmy era, há tempos, um dos maiores representantes do estilo roqueiro de vida. Dizia-se que costumava beber uma garrafa de Jack Daniel’s por dia.

O vocalista vinha enfrentado problemas de saúde havia alguns anos. Entre outros, um diabetes do qual sofre há anos e que forçou o Motörhead a adiar uma turnê europeia em 2013.

Lemmy garantia ter parado de beber e que abandonou o cigarro. O Motörhead participava de uma longa turnê por América do Norte e Europa.

Em 2015, a banda chegou a cancelar ou encurtar diversas apresentações, inclusive sua participação no festival brasileiro Monsters of Rock, em abril.





Source link

John Bradbury, baterista dos Specials, morre aos 62 anos



John Bradbury, baterista dos Specials, morreu aos 62 anos, anunciou a banda inglesa em seu perfil no Twitter, nesta terça-feira (29).

“É com profundo pesar que dizemos adeus a nosso grande amigo, o maior baterista do mundo, nosso amado Brad. Descanse em paz”, diz a mensagem divulgada pela banda. A causa da morte não foi anunciada.

The Specials foi o grande nome do 2 Tone, movimento que misturou o ska jamaicano (ritmo precursor do reggae) com o punk rock na Inglaterra no final dos anos 70. Bradbury foi um dos principais músicos do 2 Tone, marcado pela gravadora de mesmo nome.

John Bradbury entrou no The Specials em 1979, e gravou sucessos como “Too much too young”, “Ghost town” e uma versão de “A message to you Rudy”. Ele também gravou o hit “Free Nelson Mandela” em 1984, quando alguns músicos da banda se apresentavam como Special AKA. Ele também participou da reunião do The Specials a partir de 2008.

Amy Winehouse, que era fã do The Specials, foi influenciada pelo som do grupo e chegou a cantar junto com eles ao vivo na Inglaterra.

  •  

Banda The Specials anuncia morte do baterista John Bradbury (Foto: Reprodução / Twitter)Banda The Specials anuncia morte do baterista John Bradbury (Foto: Reprodução / Twitter)

 





Source link

Mallu Magalhães dá à luz Luisa, filha com Marcelo Camelo



A paisagista Gigi Botelho, mãe de Mallu Magalhães, postou no Istagram uma foto da primeira filha da cantora, Luisa, com Marcelo Camelo (Foto: Reprodução/Instagram/gigiarrudabotelho)A paisagista Gigi Botelho, mãe de Mallu Magalhães, postou no Istagram uma foto da primeira filha da cantora, Luisa, com Marcelo Camelo (Foto: Reprodução/Instagram/gigiarrudabotelho)

Nasceu nesta segunda-feira (28), em Portugal, Luiza, filha da cantora Mallu Magalhães, de 23 anos, e do cantor Marcelo Camelo, de 37. A paisagista Gigi Botelho, mãe de Mallu, postou em seu perfil no Instagram uma foto da bebê (veja acima).

“Luisa acabou de chegar, Graças a Deus tudo certo!’, escreveu Gigi na legenda, usando as hashtags #avomaisfelizdomundo, #neta+fofadoplaneta e #avomaiscorujadouniverso. E completou: “Seja muito bem vinda!!!”

A mãe de Marcelo Camelo, Ana Camelo, também comemorou o nascimento da neta e escreveu em seu perfil no Facebook:

“Meu sogro era português de um lugar chamado Tras dos Montes, Freguesia do Ó. Veio para o Brasil e aqui constitui família: os Camelo. Dele vieram, meu marido Ernesto, três filhos nossos, a neta Carol, eu porque casei com o Camelo-mor Ernesto. Minhas duas noras também são Camelo, porque com Camelo se casaram. Esse era meu núcleo familiar até ontem. Ontem, dia 28/12/ 2015 o ciclo retornou ao seu lugar de origem. Nasceu mais um Camelo, portanto em Portugal. Seja bem-vinda minha linda! Vovó ama você também”.

Marcelo Camelo e Mallu Magalhães assumiram o namoro em novembro de 2008. Mallu surgiu aos 15 anos, quando gravou músicas e as postou em seu perfil no MySpace.

A parceria com Marcelo Camelo, do Los Hermanos, começou com elogios mútuos e um dueto em “Janta”, música da carreira solo do cantor. Atualmente, eles moram juntos em Portugal e integram a Banda do Mar.

Fã-clube de Mallu Magalhães registrou show da Banda do Mar em Portugal nesta quarta (9) (Foto: Reprodução/Facebook)Fã-clube de Mallu Magalhães registrou show da Banda do Mar em Portugal em setembro e comentou sobre gravidez (Foto: Reprodução/Facebook)
Marcelo Camelo e Mallu Magalhães tocam no show da Banda do Mar no Lollapalooza (Foto: Marcelo Brandt/G1)Marcelo Camelo e Mallu Magalhães tocam no show da Banda do Mar no Lollapalooza (Foto: Marcelo Brandt/G1)





Source link

Previsto para 26 de janeiro, show da banda Magic! é cancelado no DF



Banda canadense Magic!  (Foto: Chapman Baehler/Divulgação)Banda canadense Magic! (Foto: Chapman Baehler/Divulgação)

A banda canadense Magic! cancelou o show que faria em Brasília no dia 26 de janeiro. De acordo com a organização do evento, o motivo foi por “logística da turnê”. A apresentação em Belo Horizonte, marcada para o dia 22 de janeiro, também foi cortada da agenda do grupo.

Clientes que compraram ingressos pela internet serão ressarcidos automaticamente. Os que adquiriram entradas pessoalmente terão de solicitar o ressarcimento do valor pago entre 5 e 26 de janeiro de 2016 no mesmo local da compra.

A banda iria se apresentar a partir das 21h, no Net Live Brasília. Seria a terceira vez do grupo no Brasil, que passou por Porto Alegre, Rock in Rio e pelo Mix Festival em 2014. Os ingressos variavam de R$ 80 a R$ 500.

Formada pelos integrantes Nasri Atweh, Mark Pellizer, Alex Tanas e Bem Spiavak, a banda conquistou o público com a música “Rude”. A banda, criada em 2013, tem músicas que misturam o estilo caribenho e jamaicano e traz em sua raíz o reggae. O grupo conquistou a sexta posição na Canadian Hot 100 e esteve entre os top 10 da Austrália, Nova Zelândia, Dinamarca, Holanda e Suécia.





Source link

Motörhead acabou após morte de Lemmy Kilmister, diz baterista a jornal



Lemmy Kilmister, líder do Motörhead (Foto: Dylan Martinez/Reuters)Lemmy Kilmister, líder do Motörhead (Foto: Dylan Martinez/Reuters)

A morte do líder da banda britânica Motörhead, Lemmy Kilmister, significa também o fim do grupo, afirmou nesta terça-feira (29) o baterista do trio, Mikkey Dee, ao jornal sueco “Expressen”.

O icônico baixista e vocalista morreu nesta segunda-feira (28) aos 70 anos de idade. Ele estava em casa e foi vítima de uma forma de câncer “extremamente agressiva”, segundo comunicado. A doença havia sido diagnosticada no sábado (26).

“O Motörhead acabou, claro. Lemmy era o Motörhead, mas a banda vai continuar vida ma memória de muita gente”, afirmou o baterista ao “Expressen”. “Não faremos mais turnês. E não haverá mais discos. Mas a marca sobrevive, em Lemmy vive no coração de todos.”

Mikkey Dee falou também que a saúde de Lemmy estava comprometida nas últimas apresentações do Motörhead. “Ele estava terrivelmente magro, gastava toda a energia no palco e depois ficava muito, muito cansado”, disse o músico.

“Era inacreditável que ele conseguisse tocar, que tenha conseguido terminar a turnê europeia. Isso aconteceu apenas 20 dias atrás. Inacreditável”, continou o baterista.





Source link

Lemmy Kilmister: veja a repercussão da morte do vocalista do Motörhead



Lemmy, considerado uma 'lenda viva' do rock, comanda a legião de roqueiros em noite de peso no palco Mundo (Foto: Felipe Dana/AP)Lemmy, considerado uma ‘lenda viva’ do rock, comanda a legião de roqueiros em noite de peso no palco Mundo (Foto: Felipe Dana/AP)

Metaleiros, cantores, artistas e escritores lamentaram a morte de Lemmy Kilmister, o icônico vocalista e baixista do Motörhead, nesta segunda-feira (28).

Fundador da banda britânica de heavy metal, ele foi vítima de uma forma “extremamente agressiva de câncer”, descoberta no último sábado (26). Segundo publicação na página oficial do grupo no Facebook, ele estava em sua casa, com sua família.

Quarenta anos depois de sua criação, a banda metaleira ainda tem um séquito de fãs fiel, graças à sua destruidora guitarra e à voz inconfundivelmente grave de Lemmy.

Ao longo da carreira, lançaram cerca de 20 álbuns, alcançando 30 millhões de discos vendidos ao redor do mundo.

Veja a repercussão da morte do metaleiro:

Ozzy Osbourne, cantor, no Twitter:
“Perdi um dos meus melhores amigos, Lemmy, hoje. Ele fará muita falta. Era um guerreiro e uma lenda. Te verei do outro lado.”

Gene Simmons, vocalista e baixista do Kiss, no Twitter:
“Lemmy: descanse em paz. Balance os céus, meu amigo.”

Paul Stanley, vocalista e guitarrista do Kiss, no Twitter:
“Lemmy morreu. Verdadeiramente alguém único. Havia mais nele do que a maioria sabia. Descanse em paz.”

David Coverdale, vocalista do Whitesnake, lamenta morte de Lemmy Kilmister no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/@davidcoverdale)‘A Lemmy!!…UM BRINDE!!!’, afirma David Coverdale, vocalista do Whitesnake, no Twitter (Foto: Reprodução/Twitter/@davidcoverdale)

Tom Hamilton, baixista do Aerosmith, no Twitter:
“Lamento saber que Lemmy Kilmister morreu. Grato pelos poucos e breves momentos que Jay e eu passamos com ele. Condolências aos amigos e à família.”

Sharon Osbourne, empresária, no Twitter:
“Meu querido amigo, Lemmy, morreu hoje. Eu o conhecia por 38 anos. Ele fará muita falta, mas nunca será esquecido.”

Travis Barker, baterista do Blink 182, no Instagram:
“Nunca pensei que o dia chegaria… Descanse em poder, Lemmy. Você é e sempre será um deus do rock e um dos melhores a fazê-lo. Você inspirou muitos, através de sua música, que você viva pra sempre.”

Corey Taylor, vocalista do Slipknot e do Stone Sour, no Twitter:
“Meu amigo morreu hoje. Nós todos sentiremos falta de você. Seu nome era Lemmy, e você tocava rock’n’roll. Descanse em paz, meu amigo.”

Neil Gaiman, escritor e quadrinista, no Twitter:
“Descanse em paz, Lemmy, um homem que eu vi jogar os caça-níqueis em botecos tarde da noite, e uma vez me agradeceu a entrar em um.”

Glenn Hughes, cantor, no Twitter:
“Descanse em paz, meu amiro Lemmy de Staffordshire… Uma linda alma. Eu tentei muitas vezes manter o mesmo ritmo que ele no bar ou depois nos anos 1980.”
 





Source link

Lemmy Kilmister, líder do Motörhead, morre de câncer aos 70 anos



Sexagenário Lemmy ainda mostra muita disposição no palco (Foto: Flavio Moraes/G1)Sexagenário Lemmy ainda mostra muita disposição no palco (Foto: Flavio Moraes/G1)

O líder da banda inglesa de heavy metal Motörhead, Lemmy Kilmister, morreu vítima de câncer nesta segunda-feira (28) em sua casa, aos 70 anos de idade. Segundo publicação na página oficial do grupo no Facebook, o vocalista e baixista descobriu no sábado (26) que sofria de uma forma “extremamente agressiva” da doença.

“Não há maneira fácil de dizer isso… nosso poderoso e nobre amigo Lemmy morreu hoje após uma curta batalha contra um tipo extramente agressivo de câncer”, afirma a publicação. “Ele estava em sua casa, sentado em frente ao seu video game favorito com sua família.”

O texto ainda afirma que trará mais informações nos próximos dias. “Por enquanto, por favor… toquem Motörhead BEM ALTO”, pede.

Ian “Lemmy” Kilmister era membro fundador do Motörhead e o único fator constante na banda nos últimos anos. Ele havia completado 70 anos na última quinta-feira (24).

Quarenta anos depois de sua criação, a banda metaleira ainda tem um séquito de fãs fiel, graças à sua destruidora guitarra e à voz inconfundivelmente grave de Lemmy.

Reconhecível também pelas costeletas e as pintas no rosto, Lemmy era, há tempos, um dos maiores representantes do estilo roqueiro de vida. Dizia-se que costumava beber uma garrafa de whisky Jack Daniel’s por dia.

O vocalista vinha enfrentado problemas de saúde há alguns anos. Entre outros, um diabetes do qual sofre há anos e que forçou o Motörhead a adiar uma turnê europeia em 2013.

Lemmy garantia ter parado de beber e que abandonou o cigarro. O Motörhead participava de uma longa turnê por América do Norte e Europa.

Em 2015, a banda chegou a cancelar ou encurtar diversas apresentações, inclusive sua participação no festival brasileiro “Monsters of Rock”, em abril.





Source link